quinta-feira, 21 de julho de 2011

Tecnologias Assistivas




Curso de Tecnologias Assistivas Jogos Pedagógicos na Educação Inclusiva e Acessibilidade

O uso das tecnologias requer conhecimento e habilidade. As tecnologias estão presentes em todos os segmentos da sociedade e certamente a educação sente a necessidade do uso dessas ferramentas com a finalidade de proporcionar a educandos e educadores uma metodologia que tenha como recurso as diferentes tecnologias no ambiente escolar como forma de desenvolver a aprendizagem de forma interativa, cooperativa, informativa e comunicativa.

A 23º CRE e NTE, a Secretaria Municipal de educação do Município de Vacaria e Telecentro, tem a preocupação de integrar seus educadores ao uso destes recursos e assim ofereceu aos professores responsáveis pela sala de recursos das escolas de abrangência destes orgão um curso de capacitação em “Tecnologias Assistivas: Jogos Pedagógicos na Educação Inclusiva e Acessibilidade. Com inicio em 11 de maio de 2011 e se termino será em 15 de agosto de 2011.

Neste curso será explorado a rede mundial de computadores, a internet, conhecendo as suas características e, assim, potencializar o uso de suas ferramentas para a inclusão social e digital. Iniciou-se com a exploração de jogos pedagógicos para a alfabetização, conhecimento de programas (software) de acessibilidade, bem como aparelhos que vieram contribuir e favorecer a qualidade de vida dos Portadores de Deficiências. Além disso foram realizado pesquisas, navegação, a produção de conteúdo e a publicação na rede.

Este curso atendeu 18 professoras que atuam nas escolas municipais de Vacaria, 6 professoras que atuma nas escolas estaduais de Vacaria, 3 professoras que atuam da APAE de Vacaria, 1 professora que atua na sala de recursos de Campestre da Serra, 02 professoras que atuam em escolas estaduais de de Bom Jesus e uma professora que atua na sala de recursos no município de São José dos Ausentes .

O curso foi ministrado pela Orientadora Pedagógica do Telecentro Municipal de Vacaria, Nilva Michelon, pela coordenadora do NTE Marinice Cordeiro Noya e pala formadora do NTE Karine Sanson Paim

Importante Noticia:

Link - http://intra.sed.ms.gov.br/arquivos/manual_acessibilidade.pdf

Manual de Acessibilidade Espacial para Escolas


Assegurar a acessibilidade por meio da eliminação de barreiras arquitetônicas, que impedem as pessoas de usufruir todos os espaços nas unidades escolares, é essencial para garantir o respeito às diferenças e proporcionar igualdade de condições de acesso à participação em um sistema educacional inclusivo. Segundo a Lei 10.098/00, acessibilidade é definida como possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos transportes e dos sistemas e meios de comunicação, pela pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida (art. 2°, inciso I).

A SED, em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE/MEC/SECADI, por meio do Programa Escola Acessível, disponibilizou recursos financeiros a 309 escolas estaduais, visando promover a acessibilidade e inclusão de estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação matriculados em classes comuns do ensino regular, assegurando-lhes o direito de compartilharem os espaços comuns de aprendizagem, por meio da acessibilidade ao ambiente físico, aos recursos didáticos e pedagógicos e às comunicações e informações. As ações objetivam adequar, arquitetônica ou estruturalmente, os espaços físicos reservados à instalação e funcionamento de salas de recursos multifuncionais, a fim de atender os requisitos de acessibilidade, adequar sanitários, alargar portas e vias de acesso, construir rampas, instalar corrimão e colocar sinalização tátil e visual, adquirir mobiliário acessível, cadeira de rodas, material desportivo acessível e outros recursos de tecnologia assistiva.

Para execução das ações é necessário a elaboração do Plano de Atendimento no site do SIMEC, sendo que as adaptações arquitetônicas devem seguir as normas da ABNT.

O MEC/SECADI elaborou o Manual de Acessibilidade Espacial para as escolas, com orientações gerais sobre acessibilidade, que pode ser baixado pelo endereço http://portal.mec.gov.br/.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não Deu Certo e Agora?

Reforma Ortografica - Recebido por email desconheço o autor

Nos nossos sete, oito e nove anos tínhamos que fazer aqueles malditos ditados que as professoras se orgulhavam de leccionar. A partir do terceiro erro de cada texto, tínhamos que corrigir 20 e 30 vezes cada erro e que aquecer as mãos para as dar à palmatória. E levávamos reguadas com erros destes: "ação", "ator", "fato" ("facto"), "tato" ("tacto"), "fatura", " reação", etc, etc...

Mas, afinal de onde vem a origem da nossa Língua? Do Latim!! E desta, derivam muitas outras línguas da Europa. Até no Inglês, a maior parte das palavras derivam do latim.

Então, vejam alguns exemplos:

Em Latim

Em Francês

Em Espanhol

Em Inglês

Até em Alemão, reparem:

Velho Português (o que desleixámos)

O novo Português (o importado do Brasil)

Actor

Acteur

Actor

Actor

Akteur

Actor

Ator

Factor

Facteur

Factor

Factor

Faktor

Factor

bFator

Tact

Tacto

Tact

Takt

Tacto

Tato

Reactor

Réacteur

Reactor

Reactor

Reaktor

Reactor

Reator

Sector

Secteur

Sector

Sector

Sektor

Sector

Setor

Protector

Protecteur

Protector

Protector

Protektor

Protector

Protetor

Selection

Seléction

Seleccion

Selection

Selecção

Seleção

Exacte

Exacta

Exact

Exacto

Exato

Except

Excepto

Exceto

Baptismus

Baptême

Baptism

Baptismo

Batismo

Exception

Excepción

Exception

Excepção

Exceção

Optimum

Óptimo

Ótimo

Conclusão: na maior parte dos casos, as consoantes mudas das palavras destas línguas europeias mantiveram-se tal como se escrevia originalmente.

Mais um crime na Cultura Portuguesa e, desta vez, provocada pelos nossos intelectuais da Lingua de Camões.



Natal todo dia- Roupa nova - Edição Lorena Lisboa

Sonho Impossivel

É Urgente Reeducar